Empatado com o Galaxy Watch 5 da Samsung como o melhor smartwatch Android

O Google tenta tornar sua linha de telefones Pixel os “iPhones do mundo Android” há anos e, embora os telefones Pixel sejam ótimos e melhorem a cada ano que passa, o Google sabia que precisava criar um ecossistema de hardware em torno do Pixel para realmente tem algo que pode competir com a Apple.

Digite o Pixel Watch, o smartwatch de longa data do Google. Agora, para deixar claro, o Google promove smartwatches há quase uma década. Mas, anteriormente, as tentativas do Google eram por meio de uma plataforma de software, deixando o hardware para terceiros OEMs (fabricantes de equipamentos originais), como Samsung ou Motorola, para cuidar do produto físico. Esses smartwatches Android anteriores variaram em qualidade, mas mesmo o melhor absoluto simplesmente não conseguiu igualar a sinergia de hardware do smartwatch líder do setor da Apple.

O Pixel Watch é o primeiro smartwatch Android com hardware e software projetados pelo Google, e é uma ótima primeira tentativa que é um grande salto para smartwatches Android, mas precisa de um pouco mais de acabamento para combinar com o Apple Watch em facilidade de uso.

É claro que combinar o Apple Watch pode não ser muito importante, porque o Pixel Watch e o Apple Watches atendem a dois grupos distintos de consumidores: cada relógio está bloqueado para sua plataforma móvel. Portanto, embora o Apple Watch ainda seja o wearable de melhor desempenho, a menos que um telefone Android que usa um consumidor queira atualizar para o iPhone, isso não importa.

Projeto

Embora o Pixel Watch tenha uma forma fundamentalmente diferente do Apple Watch, na verdade ele possui muitos elementos de design semelhantes, desde a tela curva que se funde ao chassi de alumínio do relógio ou a coroa giratória que também pode ser pressionada. O Pixel Watch certamente parece mais próximo do DNA de um Apple Watch do que qualquer smartwatch anterior da Samsung, LG ou Huawei.

Mas isso é principalmente uma coisa boa, eu gosto da suavidade do Pixel Watch, mesmo que o design de vidro curvo o torne mais frágil. Eu uso a palavra “sentir” porque o marketing do Google garante que o vidro foi endurecido e endurecido, e eu bati meu pulso várias vezes contra as paredes e bordas da mesa e a tela do meu relógio sempre parece boa. Mas, no final das contas, o vidro curvo desprotegido deve ser mais suscetível a quebrar do que o vidro plano envolto em uma moldura de metal elevada (como o Galaxy Watch da Samsung ou mesmo o recente Watch Ultra da Apple).

A tela OLED de 1,9 polegadas é cercada por engastes relativamente grossos, mas você não pode vê-la na maioria das vezes porque a maior parte da interface do usuário do relógio é preta. A tela é vibrante e brilhante o suficiente para uso externo.

Na parte de trás do relógio estão os sensores usuais para frequência cardíaca, ECG (eletrocardiograma) e níveis de oxigênio no sangue, mas o Pixel Watch carece de alguns sensores mais novos encontrados em smartwatches concorrentes, como um sensor de temperatura da pele. A parte traseira é onde o carregador magnético proprietário se conecta, como a maioria dos outros smartwatches.

O Pixel Watch usa pulseiras de relógio proprietárias e o interruptor para liberar as pulseiras é extremamente difícil de acionar devido ao pequeno interruptor e à natureza circular do relógio. Esta é talvez a maior falha de hardware do dispositivo – constantemente tenho que mexer por mais de um minuto antes de remover ou prender uma pulseira de relógio. O mesmo processo para um Apple Watch ou Samsung Galaxy Watch leva talvez cinco segundos.

O relógio é alimentado pelo Exynos 9110, um silício projetado pela Samsung. O chip é bom, mas essa é a última coisa que o Google precisa consertar. Para realmente tornar o Pixel Watch do Google, ele precisa usar seu próprio silício personalizado, como os telefones do Google já fazem.

Programas

O Pixel Watch executa a versão mais recente do WearOS e, como é o software vestível do Google, funciona melhor com os aplicativos do Google do que com os smartwatches que executam software proprietário de marcas como Xiaomi e Huawei. O Pixel Watch pode acessar, por exemplo, o Google Maps e navegar em um leitor diretamente no pulso; pode visualizar notas do Google Keep; e o mais importante, tem acesso ao Google Assistant, indiscutivelmente a plataforma de assistente de voz mais capaz no espaço de tecnologia de consumo.

Apenas ter acesso a esses recursos torna o Pixel Watch mais inteligente do que muitos smartwatches Android. Já escrevi sobre isso antes, mas muitos relógios Android nem conseguem realizar tarefas básicas, como responder a mensagens de texto recebidas ou fazer perguntas ao Assistente do Google. Posso fazer tudo isso e muito mais no Pixel Watch.

A capacidade de responder às notificações é particularmente importante para mim, pois recebo dezenas de mensagens de bate-papo por dia. O Pixel Watch me permite responder diretamente no meu pulso por meio de ditado de voz ou rabiscar no mostrador do relógio, sem precisar tocar no telefone.

O emparelhamento do Pixel Watch com dispositivos Android requer a instalação não apenas do aplicativo Android WearOS, mas também do aplicativo Fitbit, já que o Pixel Watch usa o software Fitbit para rastrear o condicionamento físico (o Google é dono do Fitbit após adquirir a empresa em 2019).

atuação

A integração do Fitbit traz coisas boas e ruins. O bom: o Fitbit possui alguns dos melhores algoritmos de software de rastreamento de condicionamento físico; portanto, seja contagem de passos, frequência cardíaca, horas dormidas, o Pixel Watch faz um bom trabalho capturando dados precisos e detalhados.

Mas o software da Fitbit sempre teve problemas de emparelhamento, inclusive exigindo um processo de sincronização que leva mais de 20 minutos (durante o qual o telefone deve permanecer na tela do Fitbit). Esses problemas permanecem com o Pixel Watch. Muitas vezes, quero verificar meus dados de atividade recentes no pulso, apenas para saber que preciso abrir o aplicativo Fitbit no telefone e, quando o faço, sou informado de que o aplicativo precisa sincronizar, o que leva alguns minutos. Parece muito impraticável ter que percorrer tantos arcos apenas para verificar quantas horas andei ontem.

Em outros lugares, o Pixel Watch tem um bom desempenho. Os haptics são altos e precisos, o único alto-falante é bom o suficiente para atender chamadas telefônicas e poder usar minha voz para chamar o Google Assistant e depois pedir para fazer as coisas facilita minha vida diária.

A duração da bateria é menor do que o normal. O Pixel Watch é um smartwatch que precisa ser carregado a cada 18 a 20 horas, o que significa que, se você passar a noite em outro lugar, o Pixel Watch provavelmente ficará sem energia na hora do almoço no dia seguinte, caso contrário, mais cedo.

Ter que carregar todas as noites não é uma grande falha na minha opinião – o Apple Watch também – mas existem outros smartwatches que podem durar três, quatro ou sete dias com uma única carga.

Conclusão

Por fim, o Pixel Watch é um smartwatch elegante e premium que pode fazer o que muitos smartwatches Android não podem. Por padrão, é um dos melhores smartwatches Android, junto com os Galaxy Watches da Samsung.

Mas o Pixel tem um preço estranho, US$ 299 para o modelo WiFi e US$ 399 para o modelo celular. Acho que o preço antigo é justo para um smartwatch desse calibre, mas $ 100 extras apenas para conectividade eSIM (para que você possa usar o relógio sem ter um telefone por perto) é uma marcação muito alta que, na minha opinião, não fornece valor suficiente para a maioria das pessoas.

De qualquer forma, é uma ótima notícia que o Google finalmente criou um wearable que funciona bem com o Android e talvez no futuro possa finalmente competir com o Apple Watch em termos de polimento geral.